17 de setembro de 2018

Operação do Gaeco prende cantor sertanejo em Ponta Grossa

Promotor Antonio Juliano Souza Albanez, coordenador Gaeco
Cinco pessoas foram presas na manhã desta segunda-feira (17) no Rio de Janeiro e no Paraná por participar de uma quadrilha responsável por furtar mais de R$ 30 milhões de contas bancárias em um ano. Ao todo, 237 suspeitos foram denunciados.

A operação é da Polícia Civil e do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), do Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro.

Em Ponta Grossa foi preso um cantor sertanejo. Ele seria um dos hackers do grupo e usaria o dinheiro das fraudes para financiar seus clipes. Em PG, o cumprimento deste e de outros mandados de busca e apreensão são cumpridos pelo coordenador do Gaeco, o delegado Antonio Juliano Albanez - a reportagem do portal aRede não conseguiu confirmar, junto com o delegado, a identidade do cantor.

No RJ, as ações se concentram em Vargem Grande e no Recreio dos Bandeirantes, na Zona Oeste; e nos municípios de Barra Mansa, Volta Redonda e Angra dos Reis. Mandados estão sendo cumpridos também em São Paulo, Bahia, Ceará, Santa Catarina, Paraná e Pará.

Os envolvidos responderão por lavagem de dinheiro, furto qualificado e organização criminosa. A segunda fase da Operação Open Doors visa cumprir 43 mandados de prisão e mais de 40 de busca e apreensão em sete estados do país. Até 7h30, pelo menos quatro pessoas tinham sido presas na capital fluminense. Computadores e telefones celulares foram apreendidos.

Com informações de Bem Paraná e assessoria via a Rede.